Carregando  Carregando...

  •  

Equilíbrio emocional para ter o próprio negócio.

Ter uma empresa é um sonho de muitos brasileiros mas em muitos casos acaba por se tornar um grande pesadelo, situações antes inesperadas batem à porta do empresário, enfrentá-las sem deixar que isso interfira na sua vida pessoal e social é um dos desafios, e o equilíbrio ou desequilíbrio emocional são os fatores determinantes entre as duas situações.


No mundo dos negócios normal acontecer momentos de fartura, de escassez, de euforia, de conflito, de incerteza e até mesmo de revolta, a resposta do empresário e sua equipe nesses momentos irão gerar os resultados do negócio. Imagine se na sua empresa um cliente faz uma reclamação e recebe uma resposta inadequada, isso provavelmente significará a perda dele, se ao invés disso você reconhecer a possibilidade de exitir uma falha e identificar elementos dessa crítica ou reclamação que possam melhorar o seu atendimento, é possível reconquistá-lo e até mesmo transformá-lo em parceiro. Perceba que a sua reação ou de seu funcionário está condicionada ao grau de equilíbrio emocional, mas também as competências e habilidades desenvolvidas. Quanto mais estiver preparado para administrar seu negócio, quanto mais souber a respeito dele, mais confiante estará. Essa confiança é aquela advinda do conhecimento, do preparo, do estudo, da busca de informações, da melhoria constante dos processos da sua empresa e de sua equipe, bem como do investimento em educação e técnicas pertinentes ao serviço entregue. O desequilíbrio emocional em determinadas reações cotidianas normalmente está condicionado a incertezas insegurança. Conhecer a si mesmo e o que você entrega aos seus clientes estabelece uma relação direta entre equilíbrio emocional e sucesso nos seus negócios concomitantemente.


Uma empresa é feita para atender as necessidades de um grupo de pessoas, e o empresário que entrega essas soluções recebe por isso, mas existe aí um relacionamento em que podem existir ruídos, o empresário deve estar sempre atento as necessidades e manifestações dos seus clientes, quanto maior for a intenção de entregar o melhor possível recebendo o máximo possível maior também será o grau de satisfação do cliente e do empresário, que ao mesmo tempo não deve estar apegado ao seu negócio como se ele fosse parte de sua vida, o negócio aí é apenas um meio de se obter o que se deseja. A máxima: “alta intenção e baixo apego”, por parte do empresário diminui a possibilidade de desequilíbrio emocional. Um exemplo é que muitos empresários atribuem parte do seu nome ou sobrenome como razão social da empresa, isso gera um vínculo afetivo entre o negócio e o seu dono o que normalmente gera situações em que o empresário não se permite soluções racionais e sofre emocionalmente ao tomar uma decisão que significa a interrupção dos serviços, ou até a venda da empresa, mesmo que por um alto valor, evitar essa prática diminui consideravelmente o comprometimento emocional do empresário.


Outro ponto a se considerar é o nível de autoestima em que se encontra, quanto maior for, maior será a confiança e o sucesso obtidos.


Pense que até mesmo o sucesso pode gerar desequilíbrio mais uma fórmula de vencer isso é entender que mesmo os momentos de euforia, vão passar e estar sempre pronto para o que vem depois, ver a situação momentânea por outros pontos de vista, pode permitir ao empreendedor inovações simples capazes de renovar esses momentos de sucesso, fortalecer o aprendizado e consequentemente promover um bom clima na empresa.


Quanto mais investir o tempo em procedimentos e processos para que você e todos envolvidos na empresa saibam a maior parte do tempo o que fazer, e não ser necessário o improviso, maior será a tranquilidade sua e de sua equipe diante das situações cotidianas da empresa e até mesmo das inesperadas.


 Conquistar o equilíbrio emocional ou ser dono de uma empresa ou de um negócio demanda planejamento, busca de informações, acompanhamento, monitoramento sistemático, aumento da rede de contatos, da autoestima e da autoconfiança, entre outros comportamentos empreendedores. É possível desenvolvê-los participando de cursos e treinamentos, especializações ou pedindo ajuda de especialistas nas competências que você ainda não tem.


Ubuntu, waka, abraços e sorrisos.


Obs.: Ubuntu: palavras do dialeto de uma tribo africana que significa “todos somos um” sugerindo uma ideia de humanidade e respeito nas relações.


Waka: palavra também de um dialeto de uma tribo africana que significa “fazer algo mesmo quando estamos andando”

EMECF Educação Empreendedora - Todos os Direitos Reservados -
R. H lote 62 - Calundu - Itaboraí cep: 24806-694
Tel.: (21)3913-6684 e-mail: suporte@emecf.com.br